Buscar
  • arantesfilho11

Não há varejo sem tecnologia!


Em 2020 ocorreu a última edição da NRF, a maior e mais importante feira de varejo do mundo, promovida pela Federação Nacional do Varejo dos Estados Unidos há mais de 100 anos. ocorre anualmente no começo de janeiro em Nova York.


Historicamente, o evento da NRF, que reúne exposição e congresso, é dedicado à tecnologia e às inovações no varejo e, nos últimos anos, tem mostrado que varejo e tecnologia estão cada vez mais inseparáveis.


Há algumas edições, a Feira chegou a pregar que era o fim das lojas físicas com a dominação no e-commerce. Mas já voltaram atrás após o mercado mostrar que a loja física não acabou, mas mudou. E muito. O uso da tecnologia passou a pautar um ponto físico relevante. “Não há mais caminho sem a aplicação da tecnologia nos negócios de varejo, seja para se conectar com seus fornecedores, consumidores e também com os colaboradores”, destaca Alexandre Robazza, gerente de relacionamento do Sebrae-SP.



Tecnologia e experiência: Manequim digital apresentado na NRF exibe peça por meio de projeção de luz


Robazza, que integrou a missão do Sebrae na NRF, com centenas de empreendedores, explica que a edição deste ano firmou a consolidação de tendências que vinham sendo apresentadas nas últimas edições. “Há uma consolidação das tendências que estamos observando há alguns anos. Consolidação no sentido de que tem mais players, oferta maior de serviços, especialmente de tecnologia, consolidação de tecnologias e maior democracia de implantação no varejo como um todo”.


Confira os destaques do evento:


1-Customer Centric

A grande tendência que se consolida na NRF é o costumer centric (foco no cliente), que é de fato o varejo em si muito focado nas necessidades do cliente. Entender essas necessidades de uma forma mais rápida e conveniente.


2-Inteligência Artificial

Temos percebido a utilização de algoritmos sendo feitos a partir de dados coletados no processo de atendimento ao cliente, e que também tem impacto na tendência de Customer Centric. Outro é o uso desses dados para melhorar a experiência do cliente (via machine learning). É possível usar os dados para pautar até o que os vendedores vão dizer aos clientes.


3-Lojas

Vimos claramente que em função da expansão do e-commerce as lojas estão assumindo outro papel, uma característica de conexão maior de experiência com a marca, atuando como um showroom cada vez mais, como vimos nas lojas da Samsung ou na Starbucks, por exemplo. São locais em que às vezes é menos importante vender e mais importante apresentar a marca e fazer com que o consumidor mergulhe na marca.


4-Personalização

A personalização é entender o que o cliente quer de diferencial para ele. Se difere da customização, que é algo ligado ao produto. A personalização é mais do que isso, atende a outros aspectos da necessidade de individualização do cliente, como canal de vendas, experiência, expectativas, propósitos.


5-Realidade Aumentada

A realidade aumentada aparece como mais uma ferramenta de experiência do cliente. Pode ser uma maneira de exibir os produtos em diferentes segmentos, como vestuário ou decoração, mas tem sido o xodó do segmento de maquiagem e cosméticos, já que você pode testar digitalmente a cor do batom ou dos esmaltes.


6-Leitura Facial

Mais uma maneira de usar dados para relacionamento com clientes ou estratégia de marketing. Pela leitura fácil, é possível, por exemplo, identificar o humor do consumidor e resolver algum problema ou ofertar algum produto ou serviço que condizem com aquele estado.


7-Produção de Conteúdo

O único ponto em que a tecnologia não domina, apesar de ser o meio. Sites, páginas em redes sociais, blogs e podcast são canais complementares às lojas – físicas e online – para relacionamento com o cliente e promoção de experiência com a marca.



Por Ana Carolina Ferreira Nunes| Inovação, NRF, Tecnologia

Texto reproduzido de: https://sebraeseunegocio.com.br/artigo/nrf-mostra-que-nao-ha-mais-varejo-sem-tecnologia/


21 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo