Buscar
  • arantesfilho11

Economia da Experiência e o Varejo 4.0


Já ouviu falar do conceito da Economia da Experiência? Esse conceito, introduzido em 1999 por dois pesquisadores americanos, conclui que as empresas além de oferecer produtos de qualidade e preço competitivo, devem priorizar a promoção e a venda de momentos de emoção memorável em seus consumidores.


Que tal um exemplo prático!?!


Conhece a Starbucks? Ela é uma empresa multinacional norte-americana, com a maior cadeia de cafeterias do mundo. Mas o que diferencia essa cafeteria das outras? O café é melhor? Possui uma maior variedade de produtos?




O produto que ela vende é exatamente igual a qualquer outro. Você poderia comprar o café direto do produtor, do seu mercado favorito ou até mesmo de outra cafeteria.


A Starbucks procura criar em suas lojas o conceito de um "terceiro lugar" (após a casa e o trabalho) para se passar o tempo, com áreas confortáveis equipadas com sofás e poltronas macias, tomadas elétricas para utilização de computadores portáteis. É esse ambiente de convivência e a forma de oferecer o serviço que diferencia essa marca.


Consegue pensar em alguma outra empresa que é movida pela experiência de seus clientes?

Se você pensou em Disney, eu posso dizer que esse é um dos maiores exemplos da utilização desse conceito, afinal de contas, o que é mais divertido do que um passeio em um parque que se transforma em um universo mágico? Com o avanço dos meio de produção, a satisfação do cliente com características de um determinado produto deixou de ser um diferencial competitivo. Hoje as marcas precisam criar uma experiência inesquecível e única para cada cliente! No Brasil temos diversas marcas que usam este conceito. Algumas delas são: Netflix, Spotify, NuBank, entre outras. E que tal assistir um robô preparando um Sundae exclusivamente SEU? Parece coisa do futuro, mas já é o presente! Esse robô existe, se chama Icebot e ele fica na Roboteria Shakes & Sundaes. Pensando em todos esses conceitos desde os primeiros rascunhos, a CookingHands tomou como premissa básica, ao desenvolver o projeto para a Roboteria, preparar e entregar um sorvete de uma forma jamais vista antes, tudo para proporcionar uma inovadora experiência ao cliente.


A jornada começa quando você se aproxima do quiosque. As danças do robô, a iluminação, os movimentos fluidos, a transparência dos mecanismos, a altura do palco, etc., tudo foi pensado para que das menores crianças aos mais experientes, tenham uma jornada inesquecível.

E tem mais, o projeto também levou em conta qualidade dos produtos, viabilidade econômica, alta tecnologia, higiene, segurança e impactos ambientais.


O que mais você sugeriria que pode ser automatizado? A CookingHands tem know-how nesse mercado e pode te ajudar a ir além da simples automação, mas sim criar esse ambiente mágico que é de fato o diferencial no mundo atual. Conheça mais! Caso queira conhecer mais sobre o projeto, visite as unidades da Roboteria em SC e SP e visite o site da empresa: www.roboteria.com.br


Conceito de economia da experiência adaptado do texto publicado em: https://www.castgroup.com.br/blog/como-a-economia-da-experiencia-revoluciona-a-forma-de-fazer-negocios/

21 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo